Nós, atores, pobres sombras da vida humana, abandonamos o nosso próprio ser para dar vida aos mais variados personagens, e com eles parecer, tal como o reflexo parece com a coisa. Com os nossos pobres e velhos figurinos nos transformamos e, por alguns instantes, nos igualamos aos mais valentes e poderosos, aos vilões e heróis.

Capitão Fracasso é um espetáculo que fala das alegrias e das tristezas dos artistas de Teatro. Do ganhar ou perder, da fome, do frio, da chuva, da fé e de esperança de dias melhores. Também fala da coragem, da bravura, da união de vontades de vencer honestamente. 

Mas, que povo é esse?

É gente nômade, mambembe, cigana, contagiante.

É um espetáculo para ser visto por estudantes da arte dramática, música, poesia, cinema, literatura.

Salve! Salve o Capitão Fracasso!...

Alberto Tinim

Capitão Fracasso foi um divisor de águas para mim, na minha carreira. Ali o Teatro é vivo, no texto, na sua essência, nos atores e no seu real significado. Vejo o espetáculo como um grito de nós, Artistas, em prol da profissão. Ao mesmo tempo, é nítida a homenagem natural e singela ao nosso ofício. Considero o espetáculo de cunho necessário para assistir. Impossível não sair de lá provocado ou com alguma inquietação. TEATRO é a representação da vida, e neste espetáculo, a vida está

de corpo e alma inserida ali. 

Ana Sevettri

Arthur Bello

Capitão Fracasso é um espetáculo que por mais que tentemos fazer um distanciamento à interpretação das personagens, fica impossível não nos identificarmos por peculiaridades frente às dificuldades e realidades vivenciadas por uma trupe de Teatro Mambembe. As dificuldades e percalços do teatro não mudaram! Estamos vivendo uma época marcada pela violação da arte como tentativa ao cerceamento do comportamento humano. Somos resistentes!

Agradeço à Companhia por confiar em meu trabalho e saber o meu real valor. Agradeço aos companheiros de cena que em várias situações me aconselharam e me fizeram sentir como se estivesse em uma viagem interminável em busca do meu verdadeiro eu na arte...

Muito obrigado!

Participar do processo de criação do espetáculo Capitão Fracasso foi um marco na minha carreira artística. A partir de um processo de cumplicidade e investigação coletiva, nos percebemos nesses personagens que se entregam incondicionalmente ao fazer teatral. A consciência do gesto político e transgressor do Teatro, impresso não apenas em nossas atuações, como também na aguçada direção de Luiz Paixão e nas homenagens a tantas pessoas que lutaram pelo excelência do Teatro mineiro, nos estimula a continuar sempre em frente, mesmo diante da aridez do recente cenário político e cultural brasileiro. Acreditamos, sobretudo, e apesar de tudo, que é no Teatro que podemos construir pontes de resistência, empatia e afeto. 

Bruno Hilário

Iris Prates

O  espetáculo Capitão Fracasso faz uma reflexão sensível e emocionada acerca do nosso ofício. Uma adaptação pujante do diretor Luiz Paixão, que nos atravessa de maneira muito intensa e real. No palco, representamos nosso padecimento, nossas alegrias, dores e nossa dificuldade de sobreviver da arte em uma sociedade, que ainda hoje, julga e condena o artista. "O teatro é o lugar onde o sonho se realiza", mas sobretudo, é necessário e existencial que seja um espaço de luta e resistência.   

Capitão Fracasso é um espetáculo que proporciona muita reflexão do que se trata o fazer teatro. Em tempos vemos que sempre vai ser uma luta constante e resistência a cada época que chega, e isso é muito bem abordado no espetáculo, com olhar sensível e humano. Ao longo do nosso trabalho, percebi o tanto que me emociona e me enche de prazer em fazer parte e estar ao lado de pessoas incríveis, com quem sempre aprendo muito, e poder mostrar ao público uma parte dessa conexão generosa com o próximo e a reciprocidade que o teatro tem para oferecer, e com isso perceber o tanto que podemos evoluir como seres humanos, que é pra mim um dos ensinamentos mais poderosos e

sinceros do Teatro.

Isabella Saibert

Capitão Fracasso é, como seu subtítulo diz, um canto de amor ao Teatro, mas é também e acima de tudo, comprometido com nosso tempo. Um espetáculo lúdico e poético capaz de nos fazer rir e chorar e que, ao apagar das luzes, enche nossas malas não só de afeto e encanto, mas também de reflexões profundas e necessárias sobre nosso ofício. 

Mariana Bizzotto

O espetáculo Capitão Fracasso é uma viagem

entre a realidade e a fantasia.

É a luta diária de representar. 

Meibe Rodrigues