O poeta não se compraz em cantar a dor... O amor, a traição e a vingança são para o poeta a matéria bruta a ser lapidada e em verso cantada para que o homem saiba de si e de suas paixões... O poeta canta, pois que esse é o ofício de quem nos palcos faz nascer e morrer a cada dia as mais belas histórias que se jamais contou...

THÉOPHILE GAUTIER

1811 - 1872

Capitão Fracasso - 1863

Infelizmente, não existe ainda uma tradução integral de O Capitão Fracasso, publicada no Brasil. Existem apenas duas "adaptações", dedicada ao público infanto-juvenil, o que implica edições bastante reduzidas em seus conteúdos. 

Fracasser (ka-sé) v.t. Briser, mettre en pièces avec bruit: le vent fracasse les chénes. Rompre: se fracasser la jambe.

   LAROUSSE. Nouveau Petit Larousse illustré: dictionnaire encyclopédique. 131 ed. Paris: Laibrairie Larousse Paris VI, [1952].

 

Fracasser [frakase] v. t. despedaçar, desfazer em pedaços; quebrar, destroçar, estilhaçar; fracturar.

                                           CARVALHO, Olívio da Costa. Dicionário de Francês-Português. Porto: Porto Editora, 1974.

Théophile Gautier possui, tão bem quanto se não fosse um perfeito artista, esta famosa qualidade que os basbaques da crítica teimam e recusar-lhe: o sentimento. Quantas vezes exprimiu ele, e com que magia de linguagem!, o que há de mais delicado na ternura e na melancolia!

     [...] não amou senão o Belo; não buscou senão o Belo; e, quando um objeto grotesco ou hediondo se ofereceu aos seus olhos, ainda soube extrair daí uma misteriosa e simbólica beleza! Homem dotado de uma faculdade única, poderosa como a Fatalidade, exprimiu, sem fadiga, sem esforço, todas as atitudes, todos os olhares, tocas as cores que a natureza adota, assim como o sentido íntimo contido em todos os objetos que se oferecem à contemplação da vista humana.

     Sua glória é dupla e una ao mesmo tempo. Para ele a ideia e a expressão não são duas coisas contraditórias que não se podem conciliar senão por um grande esforço ou por covardes concessões. Só a ele, talvez, cabe dizer sem ênfase: Não existem ideias inexprimíveis!

O perfeito mágico das letras francesas!

Charles Baudelaire

A adaptação do romance para o espetáculo da

Companhia de Teatro se utilizou de trechos das peças:

Medeia e Hipólito, de Eurípides

Romeu e Julieta, de Shakespeare

O médico à força, de Molière

O mambembe, de Arthur Azevedo

Eurípides

480 - 406 a.C.

Shakespeare

1564 - 1616

Molière

1622 - 1673

Arthur Azevedo

1855 - 1908